Assertividade faz bem para a Saúde – 4 Passos para ser mais Assertivo.

[POWERCAST #6] Como persuadir seu cliente com apenas uma palavra certeira
12 de julho de 2016
O Líder Cartógrafo – Conheça a Importância dos Mapas de Liderança
21 de julho de 2016

A palavra “assertividade” origina-se do termo “asserção”, que significa “afirmação” ou “declaração”. Para Alberti e Emmons, os sujeitos assertivos se comunicam de forma clara, direta e sincera sobre o que pensam e sentem, com posicionamentos que expressam seus verdadeiros pontos de vista. Segundo os autores, ser assertivo significa que você é uma pessoa transparente em suas intenções e colocações.

Então a assertividade parece algo bom, não? Mas na prática, conheço poucos profissionais, sejam eles empreendedores ou coaches, até mesmo líderes, que têm o privilégio de serem assertivas. A maioria das pessoas silencia suas opiniões, pois elas sabem que se forem expressar suas ideias e sentimentos com autenticidade, podem sofrer retaliações e prejuízos de colaboradores ou clientes.

A triste verdade é que no Brasil, fomos criados em uma sociedade que premia a não assertividade. “Enrolar”, falar pelas entrelinhas, são consideradas virtudes e a sinceridade é quase um tabu.

 

Não tem jeito, as vezes temos que esconder o que sentimos.

 

E quem pretende ser assertivo deve pagar o preço. Em muitas escolas, aprendemos desde cedo que a desobediência ou sinceridade à “tia do primário” seria duramente repreendida, seja pela própria “tia” ou mesmo pelos colegas de escola. As próprias relações familiares nos ensinam que é melhor ficar quieto e aceitar do que tentar mostrar uma opinião.

O resultado de todas essas vivências criou uma geração que aprendeu a cooperar sem questionar nenhum assunto abertamente. Quando as pessoas ingressavam no mercado de trabalho, elas substituíam a figura autoritária (geralmente seus pais) pela figura do “chefe”. Bastava obedecer e acatar para sermos considerados bons profissionais.

Mas hoje, o jogo mudou. Você não precisa se submeter à autoridade de quem você não respeita. Você pode projetar sua própria autoridade. Aliás, você que é um profissional liberal ou mesmo uma figura de destaque, precisa projetar autoridade para ser levado a sério.

Para isso, você precisa apagar anos de programação e assumir uma posição de diálogo assertiva.

E como fazer isso?

Existem 4 elementos que você pode prestar atenção para ter uma postura mais assertiva que não tem nada a ver com o seu conteúdo, mas sim com a sua presença física:

  • COMUNICAÇÃO OLHO NO OLHO: dirigir-se ao interlocutor com franqueza e sinceridade. Não tenha medo de, literalmente, encarar as pessoas. Desviar o olhar mostra hesitação.
  • POSTURA CORPORAL: voltar-se par a pessoa com quem está falando, concentrar-se nela, sem se dispersar com outros afazeres. Uma postura assim transmite segurança, firmeza e compromisso com as suas ideias.
  • EXPRESSÃO FACIAL: alinhar suas palavras à sua expressão facial para transmitir convicção na sua mensagem. Por exemplo, diante de assuntos sérios e complicados, realmente não convém sorrir, para evitar a impressão de que esteja tratando o fato com displicência.
  • TOM DE VOZ, INFLEXÃO E VOLUME: o tom de voz deve ser firme, claro e moderado, para expressar o que você pretende comunicar. Não grite para evitar a percepção de agressividade, que pode ser confundida com desespero. Uma voz baixa e tímida demais faz com que você pareça inseguro e como consequência, uma presa fácil.

É consenso entre os profissionais de saúde que a atitude não assertiva das pessoas pode leva-las a adquirir doenças e desequilíbrios emocionais. Quando um profissional tem que “engolir muitos sapos” e não se permite expressar suas opiniões, pode desenvolver doenças como gastrite, dores na coluna, alergias, hipertensão, estresse etc.

Então, ouça o que a Doutora Laila diz: uma comunicação assertiva faz bem para a sua saúde!

 


Quer receber dicas como essa semanalmente? Então clique aqui para se inscrever no meu mailing e receba um e-book com técnicas de persuasão gratuitamente! 

Clique aqui para baixar o e-book!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *