Atenção! A sua equipe pode estar sofrendo de Burnout

Descubra por que você deve colocar seus colaboradores em primeiro lugar
6 de junho de 2019

Será que sua equipe sofre de Burnout?

Ei, Líder, olhe para a sua volta… 

Tem certeza de que está cuidando da sua equipe?

Grande parte das pessoas almeja um cargo de liderança, afinal todos querem ser promovidos, ter uma equipe, se destacar na empresa, ter sucesso ascendente…

… mas nem todos sabem sobre os desafios que estão por trás da liderança.

Você pode ser um líder, mas será que desempenha sua função de maneira inspiradora?

Será que sua equipe o vê como uma autoridade? Ou simplesmente te considera um chefe autoritário, egocêntrico e frustrante?

Sugiro que pare agora e reflita sobre a sua liderança. Vamos, líder, é um exercício importante!


Será que minha equipe pode estar sofrendo de Burnout?

Como sempre digo para os meus mentorandos, na grande maioria das vezes, profissionais que desempenham sua função de maneira extraordinária, ou seja, bons técnicos, alcançam a liderança.

Mas nem sempre eles não estão preparados para esse desafio, afinal, não há preparo algum por parte de quem os promoveu. 

E quem sofre as consequências, quem se prejudica? Colaboradores, clientes, o próprio líder e a empresa. Todos são afetados!

Estamos falando de pessoas. Pessoas não são máquinas. É muito importante que os líderes pensem sempre nisso.

Ser exigente, mas ao mesmo tempo, se preocupar, cuidar e zelar faz parte do papel do líder. 

Ser firme e preocupado com os números e resultados, mas, ao mesmo tempo, ser empático faz parte do papel do líder.

Ser rigoroso com horários e prazos, mas, ao mesmo tempo, ser solícito e coerente faz parte do papel do líder.

Líderes são responsáveis por aqueles que estão a sua volta. 

Líderes são responsáveis pela sua equipe. 

Líderes precisam cuidar e se preocupar com seu time, pois, dessa forma, todos ganham.

Equipes lideradas da forma apropriada entendem que sua função vai muito além de números, logo, são mais felizes, mais produtivas, engajadas e a rotatividade – algo que é extremamente caro para a empresa – é muito menor

Um time que realmente veste a camisa da empresa é extremamente valioso para todas as partes: colaboradores, empresas e também clientes.

Seu time veste a camisa da sua empresa?

Equipe engajada e proativa

Ei, Líder, cuidado com o Burnout!

Será que sua equipe sofre da Síndrome de Burnout?

Sabia que um terço dos brasileiros são afetados pela Síndrome de Burnout?

O que é Síndrome de Burnout?

Recentemente a OMS (Organização Mundial de Saúde) atualizou a definição da Síndrome de Burnout: “uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito”. 

Essa síndrome possui três “sintomas” principais: “sensação de esgotamento, cinismo ou sentimentos negativos relacionados ao seu trabalho e eficácia profissional reduzida”.

Veja bem, não é um simples cansaço.

O esgotamento é aquele de que não se recupera depois de um final de semana ou feriado, como se fosse um cansaço constante. O cinismo, por usa vez, significa que o profissional vai se tornando insensível às coisas a sua volta, confuso, alienado do que se passa.

E qual é o resultados disso? A produtividade cai significativamente e muitos erros se acumulam.

O Burnout é um fenômeno ligado ao trabalho, e não uma doença. Ou seja, está relacionado ao modo como lidamos com o trabalho e a maneira como ele é vivenciado no dia a dia.

De acordo com o G1, essa síndrome pode se desenvolver a partir de uma carga horária excessiva, excesso de responsabilidades, falta de reconhecimento dos líderes, falta de justiça ou conflitos no ambiente de trabalho, entre outros motivos.

E, ao contrário do que se imagina, ela tende exatamente a atingir aqueles que são mais idealistas e motivados na empresa.

De acordo com Ana Maria Rossi, PhD e presidente da International Stress Management Association do Brasil (ISMA-BR), dois dos grandes gatilhos são a desmotivação e a insatisfação.

Além dos fatores internos da empresa, os fatores sociais também devem ser levados em consideração. Um deles é o fato de que temos uma taxa altíssima de desemprego (atualmente, em 12,5%) e de subocupados, que trabalham menos de 40h por semana (chegando a quase 25%).

Isso significa, em outras palavras, que estamos em um cenário de grande instabilidade econômica, o que pode levar à insegurança dos colaboradores.

Essa insegurança, muito mais do que incentivar o trabalhador a dar o seu melhor, causa uma sensação de constante medo e estresse, e, naturalmente, isso impacta em sua produtividade

Com tudo isso, nosso cenário atual acaba causando um estresse crescente que, quando mal administrado pelas empresas, leva colaboradores ao Burnout.


Sua equipe pode sofrer de Burnout

Isso pode ser facilmente comprovado quando analisamos os resultados da pesquisa realizada pelo ISMA-BR e divulgada pela Exame.

De acordo com essa pesquisa, até 72% da população brasileira sofre alguma consequência do estresse, do leve ao devastador – e, desses, 32% estão com a Síndrome de Burnout

Dentre as pessoas com essa síndrome, 92% declararam não terem condições de trabalhar, e 90% afirmam que embora estejam fisicamente presentes, sua mente e suas emoções estão em outro lugar. 

Assustador, não é mesmo?

As consequências disso são claras: além de ser uma situação muito difícil para a pessoa que está passando por isso, provoca também prejuízos nas empresas, uma vez que a produtividade dos colaboradores cai drasticamente.

Líder, por isso, enfatizo, é necessário ficar atento a sua equipe. Cuidado para sua equipe não sofrer de Burnout!

Daí a importância em cuidar, zelar e se preocupar com você e com seu colaboradores para que ninguém seja atingido por essa síndrome.

Ou seja, no ambiente empresarial, é importante que haja um cuidado e um acompanhamento constantes com o colaborador, buscando identificar situações que possam ser causa desse esgotamento.

Atente-se aos sinais de cansaço extremo e mudanças no comportamento da sua equipe.

É o que sempre digo aos meus mentorandos: ser líder é, também, saber cuidar de sua equipe. Cuidar para que as exigências não sejam desmedidas, e para que cada membro esteja em sua melhor forma. 

Com isso, não apenas os projetos ganham em eficiência, mas os funcionários ganham em qualidade de vida. E, com isso, se tornam colaboradores cada vez mais engajados.

Quer saber mais sobre estratégias para desempenhar uma liderança ascendente?

Quer alcançar cada dia mais resultados?

Quer ter uma equipe harmônica, engajada e que veste a camisa da empresa?

Clique aqui e saiba mais sobre a minha mentoria.

QUERO SABER MAIS SOBRE MENTORIA

P.S.: é preciso se atentar aos sintomas da Síndrome de Burnout e, se necessário, orientar que seu colaborador procure atendimento médico ou psicológico.

É importante lembrar que portadores de Burnout têm direito à licença médica, e, em casos mais graves, até de aposentadoria por invalidez.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *