Os 5 erros mais comuns cometidos por líderes.

Líder de primeira viagem?! E agora?
22 de agosto de 2018
Aquele cargo não era para ser seu?
28 de setembro de 2018

Primeiramente, gostaria de agradecer a todos e todas que comentaram, compartilharam, curtiram e, inclusive, me enviaram mensagens no LinkedIn e e-mails em resposta ao último artigo divulgado: Líder de primeira viagem! E agora?!

Estou, de verdade, muito feliz pela repercussão do artigo e, também, muito agradecida por todos os pontos de vista mostrados! Tenho absoluta convicção em dizer que as opiniões de vocês têm muita relevância para mim, pois elas me acrescentam muito, principalmente, quando o assunto é liderança – já que esse é o tema que venho, há anos, me dedicando.

De novo, muito obrigada!

Realmente, temos inúmeras perspectivas – relacionadas ao líder de primeira viagem – para abordarmos. Perspectivas essas que podem:

Orientar aqueles que estão se preparando para essa primeira viagem;

Instruir os profissionais que acabaram de ser direcionados a essa posição e, até mesmo;

Mostrar aos líderes experientes alguns aspectos que, até então, eles não tenham se atentado e que podem agregar às suas gestões.

 

Então, para continuarmos a linha de pensamento iniciada na semana passada, eu te questiono: você sabe quais são os 5 erros mais comuns que líderes que estão iniciando sua jornada cometem?

Não?

Então, hoje, vou revelar tais erros para que você nunca os cometa, ok?!

Vamos lá?!  

1. Não conhecer a equipe

Há aqueles que, a partir do instante que são convidados a assumir um cargo de liderança, acreditam que uma gestão eficiente e com resultados é aquela que tem um líder organizado e focado nos objetivos da empresa.

No entanto, só isso não basta! Mas por quê? Porque para que, de fato, a empresa tenha um nível de produtividade alto e, com isso, bons resultados, é preciso conhecer muito bem a equipe com a qual você trabalha.

Por isso, é imprescindível saber quem é a sua equipe!

Chame-os sempre pelo nome, procure ter oportunidade de conversar de maneira privada com cada colaborador para que você entenda, realmente, qual é a função dele no processo etc.

Tenha sempre em mente que: para ter um ambiente sadio, motivador e, consequentemente, um local onde as pessoas queiram estar e, além disso, se sintam motivadas, o líder precisa saber profundamente quem são aquelas pessoas que estão junto com ele todos os dias – pessoas essas que passam mais tempo na empresa do que em suas próprias casas.

 

2. Ser autoritário

Acredito que, para aqueles que me acompanham há algum tempo, vocês estão cansados de ler sobre essa questão. Rs! Mas, esse ponto é tão importante e essencial em toda liderança, que faço questão de enfatizar novamente.

Ser autoritário é completamente diferente de ter autoridade.

Na grande maioria das vezes, líderes que se mostram de maneira autoritária fazem com que sua equipe se desmotive e se sinta extremamente desvalorizada e insatisfeita com sua gestão e, como consequência, com a empresa onde trabalha.

Com isso a produtividade tende a cair e, além disso, muitos profissionais excelentes acabam optando por sair da empresa e ir em busca de outra oportunidade.

 

3. Não ser inspirador àqueles que estão à sua volta

De acordo com Mário Sérgio Cortella, um chefe ordena e um líder de verdade inspira e motiva.

É exatamente isso!

Em primeiro lugar, pessoas que ocupam cargo de liderança devem ser um espelho para os demais profissionais, tanto para os superiores quanto para os subordinados e colaterais.

Diante disso, é importantíssimo que o líder, além de valorizar a participação de todos que estão do seu lado, também os inspire e influencie – por meio de uma postura coerente e segura, argumentação persuasiva e discurso claro e estruturado.

Uma vezes que esses aspectos sejam postos em prática, o líder influenciará, auxiliará e estimulará todos a alcançarem metas, se desenvolverem e crescerem junto com a empresa.

 

4. Não saber ouvir

É claro que ter a habilidade comunicativa “afiada” – oral e escrita – é importantíssimo, principalmente, no ambiente de trabalho. Quando digo “afiada”, me refiro a uma comunicação coerente, clara e estruturada para que todos que estão à nossa volta entendam nossa posição e a mensagem que informamos.

No entanto, saber ouvir é tão importante quanto falar (nem todos sabem disso), pois é preciso prestar muita atenção na fala de nossos colaboradores. Ouvir a opinião deles é fundamental para que haja uma importante conexão no ambiente corporativo.

Além do mais, para saber influenciar é preciso saber ouvir porque para ter um Diálogos de Poder – que traga resultados individuais e coletivos –  é preciso que líderes e subordinados, líderes e superiores ou líderes e líderes estabeleçam um diálogo em que ambos expressem suas opiniões e ouçam a do outro.

É fundamental que haja esse equilíbrio, pois o bom líder comunicador sabe falar e escutar.

 

5. Não se qualificar ou se aperfeiçoar     

                        

Como eu já enfatizei no último artigo, o mundo muda em uma velocidade muito rápida e, independentemente da área que os atuamos, é preciso estar o tempo todo nos atualizando e nos qualificando.

 

Quando digo qualificação, me refiro ao fato de líderes acompanharem as tendências relacionadas da área em que eles trabalham e das técnicas e estratégias relacionadas à gestão de pessoas. Além de aperfeiçoamento direcionado aos métodos de persuasão voltados para a construção de autoridade e credibilidade, estratégias de argumentação etc.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *